12.ABR

Acumular ou trocar?

Acumular ou trocar?

Chega uma data comemorativa.

Aniversário, natal, dia das crianças.

Você tem a obrigação de comprar um brinquedo que, por menor que seja, tem um preço alto.

É certo: não há dinheiro no mundo que pague um sorriso puro.

Mas, o tempo passa e passa também o interesse pelo presente.

Sem receber atenção, o passatempo já não serve e está na hora de comprar outro.

Mas, por que tem que ser assim?

Esse foi o questionamento que levou a atriz e, acima de tudo, mãe, Carol Guedes a criar o Quintal de Trocas. A iniciativa trata-se de um site que faz com que pais e filhos tenham mais consciência sobre o consumo ao promover a troca de brinquedos e tornar aqueles que eram “velhos” para uma criança em novos para outra.

Troca de ensinamentos
Em entrevista à Crescer, Carol conta que a ideia do projeto veio a partir de uma feira de trocas e mostra que, além de ser um meio de permuta, a página promove também muitos ensinamentos.

Carregando o princípio de que é na infância que os valores começam a se formar, o site traz aprendizados como o desapego, a redução de lixo e o cuidado que os pequenos devem ter com os seus pertences.

Além disso, há ainda o diálogo, a negociação e até mesmo a frustração, uma vez que nem sempre haverá um acordo quanto ao que se deseja.

Aliás, não só os filhos aprendem, mas também os pais. Por isso, a recomendação de Carol é deixar a criança escolher o próprio item, tanto o que irá doar quanto o que irá receber. Com isso os filhos mostram que o importante não é o preço do brinquedo, mas sim o valor da brincadeira.

O projeto busca ainda incentivar o resgate do costume de enviar correspondências, fazendo com que as crianças enviem junto ao brinquedo uma carta ou desenho contando a sua história com o objeto.

Como funciona
Para realizar as trocas é preciso cadastrar o brinquedo com fotos, uma descrição e classificá-los de acordo com o seu tipo, idade recomendada e a cidade onde você reside. Quando a criança encontrar o objeto que deseja ela deve indicar o interesse em “Quero Trocar”. Os responsáveis então poderão conversar para efetuar a transação, que pode ser feita por meio dos correios ou nos pontos de troca, lugares que oferecem o seu espaço como local de encontro.

No começo desse ano o projeto realizou uma campanha de financiamento coletivo no qual conseguiu arrecadar recursos para reformular a sua plataforma e tornar o processo ainda mais fácil.

O que você acha sobre isso?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Soluções